PAP diz.

HIP-HOP SEM DROGAS, periferia sem vício, é periferia menos violênta.

sábado, 29 de maio de 2010

Movimento de Rua com competição de b.boys


Ai galera um dos organizadores desse evento é o Carlinhos do Rap, que ja é envolvido com o hip-hop desde os anos 80, é um dos primeiros b.boys de Alagoas MC e DJ tambem. como muitos dos primeiros adeptos do hip-hop alagoano se afastava e com o tempo voltava e agora vem voltando de novo espero que dessa vez pra ficar definitivo.e esta de volta com novos parceiros e mais alguns das antigas tambem como o dj Ace rick, trazendo esse evento pra fortalecer o hip-hop alagoano.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Rep alagoano Familia das ruas


Um grupo que anda junto com PAP e a CIAh2p hip-hop de Alagoas
essa apresentação foi em União doas palmares com a caravana cultural realizada pela secretaria de cultura do estado.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Meu aniversario com hip-hop


Completei 38 anos de idade graças a Deus, nesses 38 anos são 16 de correria pelo Hip-Hop, mas pelo hip-hop social ,consciênte sem drogas licitas e inlicitas,esse é o hip-hop que eu me indentifiquei e que eu conssegui ver que é um movimento util para a humanidade, infelizmente não é o hip-hop que eu vejo crescer,mas é onde eu cresci mentalmente onde me fortaleci contras as drogas, onde me faz pemssar no proximo como se fosse eu,onde comecei a falar de Deus com o coração e não so da boca pra fora, onde sou o que sou num palco ou em baixo de um, onde faço o que falo e não falo o que não sou, onde posso ser menoria mas o que me importa qualidade e não quantidade,
onde aparece 1-2 ou 3 mas com intereçe de mudar o mundo e não uma multidão com interece de diverssão.

É isso ai hip-hop pra mim é pra mudar o mundo e não pra se render a ele, e eu comecei me fortalecendo não se rendendo ao alcóol, nicotina, ganja, pó e nem pedra se o homem se rende a algo assim então o que vem dele é falso e fraco,a verdade vem da alma chapada pelo espirito santo, como diz KID MC (reper angolano) EU SOU UMA DROGA TÃO AVANÇADA QUE NENHUM TRAFICANTE VAI CONSSEGUIR TRAFICAR

Eu DJP concordo plenamente a relaidade deve ser mostrada nua e crua, mas acima de tudo devemos mudala, pra os fracos rendidos ou vendidos isso é impossivel é uma utopia
Viver uma utopia é simplesmente querer mudar a realidade VIVA A UTOPIA

Missão Resgate pois é aniversario meu tem que ter REP ALAGOANO

Família das ruas tambem fez seu enssaio

Renato do Familia das Ruas e sua noiva uma letra romantica que vcs podem conhecer adiquirindo o CD do grupo blz...rsrsrs

Quem quiz mostrou a voz e que voz valeu MC Ari.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Quarta edição da battle for life em aracaju-sergipe.

Antes de tudo lamento muito por nesse evento ter apenas um representante do estado de alagoas presente,mas não sei das condições financeiros dos outro b.boys,mas mesmo assim lamento por nao termos apoio suficiente dos representantes do povo,que... deviam dar asistencia a iniciativas culturais para a juventude,mas mudando de assunto a quarta edição da battle for life foi bem sucedida,com a presença de b.boys dos estados da Paraíba,Pernambuco,alagoas e Sergipe ouve competições de foot work vs foot work e b.boyng 1x1,na battle 1x1 b.boyng a final ficou entre negrito(ogiginal culture break)da Paraíba e junin(união zulu breakers)de alagoas mas quem levou a melhor foi negrito,quero destacar também a segunda colocação do b.boy junin na battle foot work vs foot work,isso mostra que a cada ano que passa a nossa dança de rua cresce e se fortalece, indepedente de crew ou bboy,então creio eu que isso e uma conquista não de uma crew ou de outra, mas sim da dança de rua alagoana em peso.

diego(rcb)alado(rcb)kiko(uzb)jurados da quarta battle for life.


rodas debaixo do viaduto em aracaju.


original culture breaker-PR,recife city breakers-PE,união zulu breakers-AL.



kiko e diego jurados da battle forlife,e ao lado de camiseta preta roni base organizador do evento.


no meio negrito campeão do 1x1 bboy,e em segundo lugar bboy junin representando a cidade de união dos palmares no interior de alagoas.


a galera que partisipu do evento,paraiba,pernambuco,sergipe e alagoas tudo misturado,isso e hip hop nordestino.


diego e alado jurados da battle for life e no meio bboy junin(uzb).


HANCKOC-recife city breakers

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Pra refletir e se fortalecer

Reflita sobre essa história não precisa ser evangelico pra se sair das drogas,mas de uma coisa tenha certeza, se você quiser sair delas Deus pode te tirar, mas se não quiser nem Deus pode tirar, por que a decisão é sua e não de Deus, se não, não estaria valendo o livre arbitrio.


Do Rap às Drogas; Das Drogas a Cristo

Carioca da Penha, zona norte do Rio, Valnei Miranda, 33 anos, é mais conhecido pelo apelido de Playboy. O nome, na verdade, acabou ficando em segundo plano. Passou a ser reconhecido assim após ter composto os raps do Complexo e da Mudança, duas gravações que alcançaram grande sucesso na mídia secular. Nascia, então, a dupla Tiê e Playboy, que ultrapassou o terreno do anonimato no difícil mercado musical - independente de estilo - onde o sucesso acontece apenas para raros casos. “De repente, quando dei por mim, estava tocando em todas as rádios. Gravamos um especial para os Estados Unidos, fiz shows em vários Estados e estive em diversas emissoras de televisão”, conta Valnei, que desde garoto era viciado nos tóxicos, mergulhou fundo nas drogas. mas pela misericórdia divina foi transformado.
Até os 15 anos foi criado pela avó e pelos tios. Em sua infância não enfrentou nenhum tipo de necessidade. Teve boa educação. Isso fica evidente na sua conversa bem articulada: voz pausada, sem expressões chulas ou gírias. Apesar da sua vida tranqüila, queria ter liberdade, sair por vários lugares sozinho sem hora para chegar em casa. Começou a tomar contato com a vida em toda a sua plenitude e, nas suas andanças, conheceu alguns amigos - na verdade uma turma envolvida com drogas - e teve repentinamente que fugir para o Complexo do Alemão, no bairro de Ramos, Rio de Janeiro, para não ser morto por um grupo rival. “No Complexo do Alemão, morei de favor e enfrentei uma série de dificuldades. Até fome passei.
Crise
O período de crise foi superado com a notoriedade que alcançou com a música. Como desde cedo sempre e gostou de escrever, usou este dom e para compor as letras dos raps, que agradou em cheio aos adeptos desse ritmo musical. “Meu primeiro empresário foi um traficante, que me deu estrutura e apoio para tocar nas rádios”, relata Valnei.
Sua vida mudou. Com a agenda sempre lotada para shows, passou a ganhar muito dinheiro, andava cheio de ouro, usava roupas extravagantes. Valnei virou ídolo na comunidade, e perdeu a conta das mulheres que conquistou. O emprego desse verbo aqui é eufemismo. Na verdade, eram as mulheres que o procurava, às vezes, de forma acintosa. “Tive tudo que o dinheiro pode oferecer”, diz.
Certa noite, estava numa quadra de esportes no Rio quando recebeu um recado que o informava da presença do jogador Romário, que queria conhecê-lo. Foram apresentados, e Valnei ficou sabendo que seus raps eram ouvidos na concentração. Virou amigo do craque e passou a ser convidado todo final do ano para a festa patrocinada pelo jogador na Vila da Penha.
Com a fama, as oportunidades iam surgindo naturalmente. Não precisava se esforçar. Valnei afirma que teve como empresário um que também trabalhou com a Xuxa, e conseguia drogas sem gastar dinheiro. Ao chegar numa “boca” (local de venda de drogas) para comprar cocaína, o traficante ficava tão satisfeito com a sua presença, que dava a droga de graça. Isso ocorreu diversas vezes. Na medida em que consumia quantidades maiores de droga, Valnei via sua vida sendo empurrada para o abismo. “Sempre fui envolvido com drogas, principalmente cocaína. Cheguei a consumir 15 gramas por dia, sempre em casa, trancado no quarto. Ficava isolado, não falava com ninguém, e tinha a sensação de que alguém ia entrar pela porta para me pegar. Ficava agitado, ansioso e olhava várias vezes pelo buraco da fechadura”, relembra.

Libertação
O irmão Valnei conta que, durante a fase do vício, várias vezes clamou a Deus que o libertasse, mas não tinha forças para reagir. Mas, numa sexta-feira, próximo às festividades de Páscoa, houve uma concentração de evangélicos na favela Complexo do Alemão. Valnei foi convidado e compareceu. “Lá, estava o grupo Chama Viva, formado por ex-traficantes. Quando ouvi o que Deus fez na vida deles, senti que a minha vida também poderia ser mudada e na hora do apelo aceitei Jesus. Passei, então, a freqüentar a Assembléia de Deus no Complexo. Quatro dias depois meu companheiro Tiê também se converteu”.
Saiu da escuridão para a luz, e tem seguido à risca o que o apóstolo Paulo disse em Atos 26.20. Abandonou os seus pecados, voltou-se para Deus, e sua nova postura diante da vida prova o seu arrependimento. Vale a pena lembrar que a conversão é a forma mais radical de transformação operada pelo Espírito Santo. Ele cria na pessoa uma nova natureza. “Algumas pessoas já me perguntaram se após a minha conversão eu nunca mais senti vontade de consumir tóxicos. Vontade houve, mas resisti. No início foi difícil, mas venci, porque a Bíblia diz para resistir ao Diabo que ele foge (Tg 4.7). Jesus me separou do mundo de pecado. Tomei uma atitude séria e me dedico totalmente ao Evangelho”.

CD do ASU ( Anonimos da Sociedade Undegraund)


A.S.U uns dos percussores do REP em Alagoas, no inicio a rapaziada adepta do skat mas como o rep conquista adeptos de qualquer outra cultura ,com o skat que tambem vem das ruas não podia ser diferente , então WILL e ALLAn foram fisgado pelo canto falado ,e nos podemos comferir skat com rep nesse album que eles disponiram para DOWNLOAD ai vai o link
ASU - Procurados e Armados Manipuladores de palavras com Rimas.rar